Month: junho 2012

Meus produtos de beleza – e uma alternativa ao Clarisonic?

O mês de Junho está acabando e os meus queridinhos produtos de beleza também. Resolvi compartilhar os produtos que usei durante todos esses meses e falar mais sobre eles. Dois deles comprei fisicamente fora do Brasil, mas calma lá para quem é brasileira porque vou escrever se vale ou não a pena investir nesses produtos para quem mora aqui.




O primeiro da lista é o gel de limpeza Effaclar, da La Roche-Posay para peles oleosas e sensíveis. Comprei o meu numa farmácia em Paris, num dia que me acabei comprando produtos franceses (é impressionante ver tantos produtos bons com preço de banana por lá). Pelo que me recordo, custou em torno de 7 euros.


Sua composição possui:

– um conjunto de activos exfoliantes com forte afinidade com a pele, que impedem a obstrução dos poros e reduzem o relevo irregular,
– componentes com acção antibacteriana e anti-irritante, que diminuem as erupções de imperfeições localizadas,
– agente que regula a produção de sebo a partir do 7º dia,
– ph fisiológico


Minha experiência: 

Como é para limpeza da pele, não é um produto tão fácil para qualificar. Afinal, todas as minhas experiências com sabonete facial líquido para meu tipo de pele (mista a oleosa) sempre foram tranquilas e nunca tive problemas. Com a da La Roche, foi a mesma coisa. Ele limpa, não deixa a pele ressecada e nem a deixa oleosa, ponto. Nada demais e nada de menos.


Vale a pena comprar? 

Se você tem acesso fácil ao Effaclar por um preço muito bom, claro que vale a pena comprar. Mas se você está no Brasil e está com dúvida se compra ou não, bem, vai depender do seu bolso. Porque se for para economizar, existem outros sabonetes faciais tão bons quanto esse e por um preço bem menor (do que o Effaclar vendido no Brasil). Posso listar o sabonete líquido da Stiefel  e o da Neutrogena.





O segundo produto que já está quase acabando (parece que está vazio, mas em pé a embalagem fica com uns 3 dedos de líquido, rs) é o  Claifying Lotion da Clinique. O que eu uso é o número 3, recomendado para peles mistas a oleosas. Esse eu comprei via Internet antes de viajar.


Para quê serve?

É uma espécie de tônico esfoliante. Quando digo “espécie de” é porque já vi muita gente dizendo que é tônico, mas em outros lugares dizem que é esfoliante. E como essa linha pertence ao sistema dos 3 passos da Clinique, que contém o sabonete, o clarifying e o hidratante; então, de acordo com a sequência ele realmente pode ser pensado como um tônico, mas em nenhum momento a própria Clinique o define como um.

Enfim, ele serve para remover suavemente as células mortas da superfície da pele, auxiliando a renovação celular e deixando a pele mais suave, uniforme e preparada para receber o hidratante. Existem 4 fórmulas diferentes de acordo com a variação da quantidade de Ácido Salicílico na sua composição, pois cada tipo de pele necessita de diferentes graus de esfoliação. Resumindo as numerações:

1: pele seca
2: pele mista a seca
3: pele mista a oleosa
4: pele oleosa


Minha experiência:

Primeiro que existem pessoas que gostam de usar toda uma coleção de produtos da mesma marca para ver se funciona, no caso, seriam todos os produtos do sistema dos 3 passos da Clinique. Mas eu, preciso dizer, sou curiosa e gosto de testar produtos que mais chamam minha atenção e não acho que precisa ter o sabonete líquido da Clinique e o hidratante da Clinique para ver se o Clarifying é bom ou não. E por isso comprei essa loção, para ver como era. Juntamente com ele, usei outros sabonetes líquidos para meu tipo de pele que considerei muito bons e outros hidrantes.

E como está escrito na foto, esse foi o meu segundo Clarifying de 400 ml. Ou seja, eu gostei e resolvi continuar usando. Logo nos meus primeiros dias de uso (ano passado), a sensação era da pele realmente estar “saindo” junto ao algodão. Nos primeiros dias mesmo, via até algumas “coisinhas” que acredito que eram os cravinhos se soltando da pele. E levada muito a essa emoção de ver as impurezas saindo da pele que resolvi comprar outro e continuar usando.

Agora com esse segundo Clarifying as “emoções” diminuíram mais. Muito raro eu ver alguma coisa saindo da pele, mas isso pode significar que minha pele está bem melhor que antes e já não sai muita impureza. Também estou usando outros produtinhos  para retirar os cravinhos e isso contribui para a melhora da pele. E no meu caso, que já usei 2 embalagens inteiras, acredito que agora está na hora de trocar de tônico e testar novos produtos.


Vale a pena comprar? 

Vale! Tanto se mora aqui ou não, vale a pena experimentar sim; pois é um produto diferente e que conseguimos sentir a diferença com o seu uso. Sem contar que existem muitas opções para comprar pela internet, então não dói muito o bolso 😉





O terceiro produto, deixado propositalmente para o final, é o exfoliante diário “SOS 7 dias” da Neutrogena. Sim, exfoliante diário. E o SOS 7 dias está entre aspas porque não vi esse produto nas farmácias aqui perto da minha casa, então traduzi do idioma original, não sei se existe para vender em farmácias maiores do Brasil e se tem outro nome. Só que, mesmo se não tiver no Brasil, calma lá que os benefícios dele podem ser adquiridos por outras formas, basta continuar lendo aqui.


Para quê serve?

O produto diz que em 7 dias consegue eliminar os pontos negros da pele (os cravinhos). Conta com uma tripla ação para  limpeza, esfoliação e purificação. Possui grânulos extremamente pequenos e é recomendado para ser usado 2 vezes por dia. Sim, todos os dias, 2 vezes por dia. Estou enfatizando bastante porque a maioria dos esfoliantes são bem mais fortes e por isso a recomendação desses é de usar apenas 3 vezes por semana, uma grande diferença com relação ao SOS 7 Jours.


Minha experiência:

Adquiri esse produtinho maravilhoso quando estava louca atrás de um gel de limpeza facial, estava em Paris. Levei de casa um gel da Avène, mas ele acabou bem mais rápido do que previa e se tem uma coisa que não dá para viver sem é sabonete facial, principalmente no meu caso que sofro com pele mista a oleosa, então não dá para usar qualquer coisa no rosto (como os oferecidos em hotéis).

E foi num mercadinho local que avistei esse e me chamou muito a atenção da promessa dos 7 dias. Eu ri, bem verdade, na hora que li, pois sou bem cética para essas “frases milagrosas”, apesar de ser completamente consumista para produtos de beleza (eu rio, mas compro, rs!).

Comecei a usar durante a viagem mesmo e, gente, foi uma coisa milagrosa mesmo! Logo na primeira vez que usei minha pele, percebi a diferença principalmente no nariz (onde tem os benditos cravinhos), que ficou bem lisinho e parecia que nunca tive cravos lá. Mas também tenho que continuar com meu ceticismo e dizer que há a possibilidade da minha pele lá, durante a viagem, estar horrível pelo fato de viver comendo tudo quanto era coisa diferente, incluindo tudo  o que eu evitava aqui antes da viagem (porque agora eu ainda estou desalinhada com a dieta), como doces e frituras.

Porém, chegando ao Brasil, desencanei desse esfoliante por mais ou menos 1 semana – que foi o tempo de descansar e nisso inclui o fato de não ter desfeito as malas, por isso não usei o produto. Depois desse tempo sem usar o SOS, notei que os cravinhos voltaram a aparecer.

E foi aí que percebi que o esfoliante era o grande responsável. Voltei a usar na hora e uso até hoje! Apaixonei e queria poder comprar mais 20 desse produtinho (que aliás foi super baratinho por lá [por lá, né?], cerca de 6 euros).


Mas lembra o que disse? Que podem existir outras alternativas para o SOS?

Primeiro de tudo, vamos pensar bem: qual a diferença entre esse esfoliante diário e o famoso Clarisonic? (o que o Clarisonic tem a ver com o assunto? Muita calma que a alternativa  não é o caríssimo aparelho, rs!).

No preço, muita; mas na atuação, NENHUMA.

Os dois são usados para o mesmo fim: limpar e purificar a pele. O que o Clarisonic faz é uma leve esfoliação, também diária e 2 vezes por dia. Só que um está na forma de aparelho e o outro na forma de esfoliante.

E no final das contas esse post também serve para ilustrar o que o Clarisonic faz e o quanto que é simples, tão simples que ninguém precisa gastar tanto num aparelho que faz o básico. Pele bonita já existia antes do Clarisonic, então ninguém precisa urgentemente de um; mas se você mora fora ou é muito rica, claro que ter um aparelhinho eletrônico não vai fazer a menor diferença. Mas para quem gostaria de ter e não tem, basta pensar no que ele faz e como podemos encontrar alternativas. E não falo de algo difícil, mas é bem mais simples do que ter o trabalho de ligar o aparelhinho, passar o sabonete e ficar lá, de frente ao espelho, 1 minuto e depois ter que retirar, limpar as cerdas, etc. Basta um esfoliante diário, como esse da Neutrogena. É só aplicar durante o banho e pronto, não tem que gastar com mais nada, não tem que ligar nada e nem limpar nada depois. Não é ótimo?


.

Usei: estampa de onça



Calça: Renner | Jaqueta: Marisa (2011) | Bolsa: Asos (2011)

Trousers: Renner | Jacket: Marisa (2011) | Bag: Asos (2011)


E essa é a calça com estampa de onça que caí de amores. Sei que oncinha é uma estampa complicada porque muita gente tem preconceito e basicamente a trata como se fosse algo de perua (não gosto dessa palavra); mas nós, que amamos Moda e estamos sempre ligadas nesse mundo, ficamos automaticamente com a mente mais aberta para muita coisa, inclusive aquilo que a gente sabe que não é sucesso unânime. Mas qual seria a graça se todo mundo usasse as mesmas roupas? Não ia ter graça nenhuma, aliás, não teria Moda, essa enorme área profissional e suas ramificações que acabam atingindo a todos, inclusive aquela pessoa que pode te julgar por estar vestindo isso ou aquilo. Já teve vezes que tive receio de vestir alguma coisa por medo de ser julgada e em outras ocasiões já fui bem ousada e desencanada com a opinião dos outros. Sempre que gosto de alguma coisa e bate o receio, gosto de lembrar que o preconceito só pode acabar quando nós conseguimos expor que existe uma diversidade de gostos e opiniões. Claro que depende muito de onde você mora e dos lugares que frequenta. Normalmente é numa cidade bem desenvolvida que o preconceito é menor, seja pela maior miscigenação de culturas e tribos, seja pelo maior acesso à informação, mas o fato é que muita gente ainda é bem quadrada quando o assunto é Moda. E esse discurso todo justo no post da calça de oncinha ficou até um tanto injusto, já que não recebi olhares preconceituosos quando a usei, não, viu? Felicidade! Mas resolvi falar um pouco sobre isso porque sei que muita menina deve gostar de coisas mais ‘diferentes’, mas que pode bater aquele receio que falei antes. E então, vamos tentar ousar mais? 



.

Últimas compras!




A louca das estampas! Não aguentei e saí correndo atrás da calça floral da Riachuelo, dica da Camila e do Fufu. Também vi no GE sobre a calça estampada de oncinha da Renner e fiquei louca atrás dela.


E olha, já usei as duas! Achava que peças florais não eram muito a minha cara, mas é difícil não se apaixonar pela estampa, uma mistura de azuis tão lindos que combinam fácil fácil com outras cores. Mas acho que minha maior paixão foi pela calça de onça! Quando vi pendurada não sabia se ia gostar muito no corpo, mas quando experimentei… Uau! Fica muito bem no corpo e a estampa é muito discreta, apesar de ser de onça, porque as cores são bem neutras. E não sei se estou viajando demais (meu namorado acha que sim, rs), mas me lembra muito estampa militar porque os tons estão bem terrosos, ao contrário da maioria das estampas de oncinha que tem fundo amarelado.


.

usei: o básico do básico




Sim! Usei somente 2 peças. Dessa vez eu quis sair bem simples, básica, clean. Adoro!

This time I just wanted to wear something very simple and clean. I love it!





Com o coturno, não gosto de amarrá-lo até o final porque fica muito justo e arrumadinho. Dou essas voltas com o cadarço para deixar a língua do coturno saindo para fora. Desse jeito fica com mais movimento e com um ar de desarrumado que adoro.

This is what I usually do with my combat boots. I like this way because it gives a little messy way of wear them, and that’s exactly the idea of wearing them. 


I

 


Bolsa: Mango | Camisa: Zara | Calça: ASOS | Coturno: C&A (2010 ou 2011)

Bag: Mango | Shirt: Zara | Trousers: ASOS | Shoes: C&A (2010/2011)

 

 

 
.

eu usaria: o básico

Estamos numa época do ano que não faz tanto frio e nem calor demais. Aquela estação meio indefinida que pode pegar a gente de surpresa ao longo do dia. Junte essa instabilidade do tempo com o final de semestre na faculdade, com todas aquelas entregas acumuladas de trabalhos para a última semana e pronto! É um mês de pura loucura e corre corre. E pra ajudar essa vida de estudante sempre atrasada e cansada que estou (estamos), vamos dar uma olhada em looks bem básicos para facilitar nossa vida? 





Começando com o mais básico do básico: looks com somente duas peças.  Não tem erro. Coloque seu jeans mais confortável e um top com cor neutra e pronto! Repare que somente a garota do meio está usando acessórios e nem por isso as outras duas ficaram menos interessantes.





Agora com 3 peças. Sabe daquela história de que uma terceira peça ajuda a deixar o look mais interessante? E com os looks básicos, fica perfeito para essa época que a gente pode sentir calor e frio num mesmo dia.





As peças que vemos aqui já são básicas por sua forma e suas cores neutras reforçam essa ideia. Preto e branco é uma ótima combinação, acrescente o cáqui, o marrom e o jeans nessa paleta de neutros que não tem erro. E olha que lindo esse último look com shorts de couro e all-star branco! Bem fácil e usável, principalmente para quem não sente tanto frio nas pernas nessa estação.





Se você não é fã de cores neutras (já tive uma época que odiava cinza – e hoje é um dos tons que mais adoro), sem problemas. O look básico ganha mais vida com o acréscimo de um tom vibrante ou numa camiseta com grafismo divertido e colorido. 





E se ainda não se convenceu de que o básico pode ser chique, basta olhar os looks acima! Um blazer faz muita diferença. Acrescenta um scarpin com salto alto para ficar bem elegante como a terceira produção.





Para finalizar, como vimos muitas fotos de meninas altas e magras, nada melhor do que deixar aqui alguém que tem um corpo bem semelhante ao de muitas brasileiras, a Rachel Bilson. Não sei NADA sobre a vida da moça, mas já colecionei muitas imagens dela justamente porque ela tem o tipo físico um pouco mais parecido com o meu do que o das modelos europeias que vejo tanto nos sites de moda. Acredito que muitas também são assim e espero que com todas essas imagens vocês possam se inspirar a usar o básico sem medo de estarem “básicas demais” e vestir essa ideia de ser clean mesmo.


 

 
.